O SONO, O SISTEMA IMUNOLÓGICO E O CORONAVÍRUS



Em tempos de propagação do Coronavírus, muitos se preocupam em manter-se limpos e longe de contaminação. Porém, turbinar o sistema imunológico é um passo muito importante para a saúde ficar em dia.

Gastamos muita energia para que as células que compõem nossas defesas permaneçam a postos. E o momento ideal para realizar os ajustes nesse sistema é durante o descanso noturno. Dormir bem é um fator crucial, pois durante esse período a nossa imunidade se refaz.

Um estudo realizado na instituição paulista apontou que a privação de sono corta pela metade a produção de anticorpos de pessoas que tomaram a vacina contra a hepatite A, por exemplo. Outro artigo, assinado por experts da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, aponta que o risco de ficar resfriado é 4,5 vezes maior em sujeitos que cochilam por menos de cinco horas por dia. A conclusão é taxativa: descansar entre sete e oito horas com a cabeça no travesseiro turbina a imunidade.

Na pesquisa americana, 164 voluntários registraram as horas de sono durante uma semana. Depois, foram isolados em um hotel por cinco dias, onde travaram contato com o rinovírus, causador do resfriado. Aqueles que dormiam menos tempo acabaram mais doentes – sinal de que o sistema imune não estava treinado para enfrentar a ameaça.

Por isso, investir na qualidade do nosso descanso, nos tempos que estamos vivendo, é imprescindível. O uso de colchões tecnológicos, com vibroterapia e cromoterapia, por exemplo, são ótimas ferramentas que podem induzir o usuário ao sono e tornar a noite de descanso melhor aproveitada.

 

Referências:

Qual o papel do sono na imunidade?. Disponível em: https://saude.abril.com.br/medicina/qual-o-papel-do-sono-na-imunidade/. Acessado em 16/03/20.